É injusto, mas compreensível: por que Messi foi eleito o melhor da Copa

A escolha do craque argentino foi resultado das circunstâncias, tão contestáveis quanto conhecidas

Anúncios

Lionel Messi sobe os degraus do Maracanã como a criança que achou que ganharia o videogame, mas viu o Papai Noel trazer um par de meias. Não conseguia esconder a decepção, ainda que esse presente de Natal antecipado fosse a Bola de Ouro. Um prêmio que poderia coroar o que tantos lhe cobravam: uma grande Copa do Mundo. A questão é que o Mundial de Messi não foi tão marcante, e a conquista individual soa mais como um consolo exagerado do que como uma consagração. Mas… é plenamente compreensível essa escolha por parte da Fifa.

LEIA MAIS: Veja como Schweinsteiger soube vencer até depois do jogo

Messi fez uma boa Copa. Limitado fisicamente durante todo o torneio – sua mobilidade lembrava a do final de temporada do Barcelona, e não a do jogador que está por todos os lados do campo –, foi marcado com mais facilidade do que de costume. Ainda assim, aproveitou-se das poucas oportunidades em que tinha liberdade para decidir.

Foi assim contra Bósnia-Herzegovina, Irã, Nigéria, Suíça e Bélgica. Boas atuações, mas nada espetacular como Maradona em 1986, a dupla Ronaldo em 2002 ou Zidane de 2006, mas ele se destacou. Na semifinal ficou preso na forte marcação. Na decisão contra a Alemanha foi muito bem no primeiro tempo, mas pareceu sentir algo e foi se apagando. O saldo? Uma boa participação, com momentos decisivos, que talvez lhe vale um lugar na seleção do torneio. Mas não foi o melhor jogador. Não foi nem o melhor jogador da Argentina.

O problema é que a eleição da Fifa não é feita por um colegiado que analisa cada caso e chega a um consenso. A eleição era feita por jornalistas, com voto direto em turno único, muitas vezes antes da final. Desta vez, foi um “colegiado” selecionado pela Fifa. Inevitavelmente, grandes personagens e grandes nomes acabam atraindo seguidores. E, nesse ponto, a Copa do Mundo sempre contou sua história em cima de craques que chamaram a responsabilidade para decidir.

VEJA TAMBÉM: Argentinos e brasileiros se provocam até o limite da violência no Maracanã

Esse padrão favorece jogadores que sejam destaques individuais de suas seleções. Basta ver quem foram os últimos cinco vencedores da Bola de Ouro: Ronaldo em 1998, Kahn em 2002, Zidane em 2006, Forlán em 2010 e Messi em 2014. Todos chegaram até a última semana da Copa e eram os responsáveis por decidir os jogos de suas equipes. Isso acaba pesando na hora de se dar o voto, ainda mais no caso de registrá-lo antes de sair o campeão.

Nisso, Müller de 2014 pagou pelo mesmo pecado de Ronaldo e Rivaldo em 2002 e Xavi e Iniesta em 2010. Teve de repartir votos com companheiros devido a um time com vários jogadores decisivos. Messi ganhou terreno por ser o jogador decisivo da outra seleção finalista, mesmo que Mascherano talvez tenha feito uma Copa melhor. Até porque as boas atuações do volante se devem justamente ao fato de Alejandro Sabella ter montado uma equipe que se sacrificava muito para que o camisa 10 pudesse decidir.

No final, Messi não fez a Copa que gostaria, que o colocasse definitivamente entre os 3 ou 5 maiores de todos os tempos. Mas fez uma Copa boa, e com perfil que o levou a ganhar a Bola de Ouro. Um prêmio injusto, mas plenamente compreensível.

29 comentários em “É injusto, mas compreensível: por que Messi foi eleito o melhor da Copa”

  1. Cheguei a ler que dessa vez foi um comitê da Fifa que decidiu pra quem dar um prêmio, não os jornalistas. O que não muda muita coisa, já que o argumento continua o mesmo.

  2. Discordo, foi injusto e incompreensível. Messi começou jogando bem e foi determinante, mas contra seleções muito limitadas, como irã, bosnia e suiça. Quando a coisa apertou, ele foi desaparecendo. É um grande jogador e fez uma copa boa, mas nem de longe foi o craque da copa. o pódio estaria muito melhor com 1Robben, 2James Rodriguez, 3Muller/Kroos. Se Zezinho da Silva fizesse a mesma copa que o Messi, não teria passado nem perto do pódio, já que não foi nem o melhor jogador de sua seleção (até os argentinos votaram em Mascherano como o melhor jogador da argentina disparado).

  3. Apesar do drible fácil e ótimos passes, Messi.só sabe jogar no meio de frente pra área, todos os gols na copa foram assim, ele nao faz jogadas pelas laterais, não cruza mto fácil de perceber e parece que só o Low percebeu e acabou com o jogo dele….

  4. Talvez vc ainda tenha na lembrança grandes jogadores que faziam várias funções (Pelé por exemplo até no gol jogava) e por isso ache estranho Messi só ter uma função e um ou dois tipos de jogada.O “problema” é que Messi é muito bom nisso, tem ótimos passes e quando corta para chutar e quase gol.Esse Messi 2013/2014 não é o Messi que sabemos que ele pode ser.
    Mesmo assim concordo com o texto e com os comentários, Robben, James Rodriguez e Müller foram melhores que Messi nessa Copa.

  5. Prêmios individuais deveriam ser extintos em Copas, porque as chances de eleger errado é muito grande. Lembram de Khan em 2002, na falha num chute de Rivaldo? Foi eleito o melhor mesmo com um erro grosseiro daqueles.
    Messi não foi o melhor. Acho que se procurar haverá alguém que tenha sido mais deciviso do que ele. O Fred? Boateng? Balloteli? O goleiro espanhol?

  6. Não, não foi compreensível, não tem como ser compreensível, ainda mais por voto de jornalistas como foi dito na matéria, tenho certeza que os jornalistas votariam melhor, isso é claro que foi coisa da FIFA/Adidas, injusto demais com tantos que jogaram muito, mas muito mesmo, melhor nessa Copa.

  7. Messi foi escolhido o melhor da Copa por um simples motivo: como fez uma temporada trágica, na qual não ganhou NADA, e viu Cristiano Ronaldo ganhar TUDO (Champions League, Melhor Jogador do Mundo, Artilheiro da Champions, etc.), a FIFA não poderia deixar seu “queridinho” de mãos abanando e INVENTOU de lhe dar esse prêmio. Pipoqueiro total, sumiu na semi e na final!

  8. O único prêmio individual que deve existir é a artilharia, por ser uma tradição. Futebol é um esporte coletivo e, mais importante que isso, um esporte brutal, que não aceita mimimi: não tem essa de merecer ser o melhor, se é o melhor mostre em campo ganhando o campeonato.

    Aposto que qualquer jogador de futebol de verdade trocaria Bolas de Ouro, quantas fosse, por uma Copa do Mundo a mais na galeria de sua seleção.

  9. Não há justificativas,a não ser a influencia e/ou poder de Messi.Assim como suas inumeras eleições de melhor em campo,anos afora,e no minimo uma de suas bolas de ouro.
    Esse cara tem dominio demais,é injusto e inaceitavel.

  10. Os 23 melhores por mim:
    Gol: Howard,Navas,Neuer
    Defesa: Lahm,Hummels,Paredes,Garay,Zabaleta,Rojo,Vlaar,G. Gonzalez,Medel
    Meio: Bastian S,Schurrle,Mascherano,Herrera,De Bruyne,Pogba,Blind,Valbuena,James
    Ataque: Robben,Muller

  11. Dizer que por alguns jogos o Messi mereceu ganhar é puxar muito para o lado “está tudo bem, pode ficar com o prêmio…” O cara não jogou nada perto do que o Robben fez nessa Copa pela Holanda. Em todos os jogos mostrou o que Messi deveria fazer.

    Não tem justificava para o Messi ter ganhado essa prêmio, apenas como estão dizendo, a Adidas que deu ao menino-chorão.

  12. Só vejo mimimi e opiniões pessoais, Robben foi menos decisivo que o Messi, James Rodriguez foi goleador sim, mas não esquecendo que fez 3 gols no mesmo jogo. aliás se Messi não tivesse perdido aquele gol que estava cara a cara com o Neuer tava todo mundo endeusando ele agora.
    No mais, estatísticas calando a boca de todo mundo.
    http://www.whoscored.com/Regions/247/Tournaments/36/Seasons/3768/Stages/10274/PlayerStatistics/International-FIFA-World-Cup-2014

  13. Eu entendi o ponto de vista do autor do texto, é compreensível mas é bem injusto! Foi o prêmio consolação… sem credibilidade alguma, alguem já viu o bola de ouro não fazer parte da seleção do campeonato? Bizarrices padrão Fifa…

  14. Cara eu sei, nessa faixa de campo ele é mortal, diria que é um romário do meio, mas o que me chamou atenção foi somente na final fazerem uma marcação no cara…….toda bola passava no pé dele e quando os times do grupo que eram fracos deram uma brecha deixando-o de frente pro gol, levaram gol.

  15. Helena, pelo seu argumento, James também não deveria ser considerado o segundo melhor.
    Foi bem contra seleções bem limitadas, como Japão, Uruguai (só nome), Costa do Marfim (foi mais ou menos) e Grécia.
    Quando jogou com alguma “melhorzinha” caso do Brasil, até tentou mas não teve o brilho esperado.
    Aliás Robben também não apareceu tanto contra os “grandes”.
    Contra a Argentina foi mal. Contra o Brasil, poderia ter sido muito melhor.
    Só foi bem no segundo tempo da goleada contra a patética Espanha.
    Mas concordo com sua lista só trocando Robben por James.
    E acho que este seu argumento é inválido.

  16. Também acho que não tenha merecido.
    Pra mim o melhor foi James Rodriguez.

    Mas o pessoal o chamando de pipoqueiro é pra acabar.
    Aliás virou moda chamar quem não ganha um título de pipoqueiro.
    Parece que o cara se escondeu, fugiu do jogo e não existe ninguém do outro lado.
    Parece que o adversário é um lixo e que ele que não quis jogar por medo.
    Chamaram CR7 de pipoqueiro. É o fim.
    Queriam que ele ganhasse algo literalmente sozinho?
    Até compreendo o torcedor irracional, mas não o bestial.

    Aliás, Messi foi o único que levou perigo para a Alemanha nesta final.
    Perdeu um gol que não costuma perder, mas sua movimentação mostra claramente que sua condição física não é a mesma.
    Messi com certeza é um dos maiores da história, sem Copa ou com Copa.

  17. Se o Messi nasce no Brasil
    Galvão Bueno já o tinha transformado em Deus do futebol a muito tempo rs
    Ele foi eleito 4 vezes o melhor em campo nessa copa ..
    Todos os relacionados são bons ..
    Mas não amarão nem a chuteira do Anão rsrs
    Ele e melhor de seu tempo e.

  18. Oi Gabriel,
    Aí depende de como você vê o jogo. Pra mim o Robben foi o melhor jogador da Holanda em todos os jogos do time. Tripudiou pra cima da Espanha e garantiu o placar contra o Chile e México. Espanha, Chile e México já são bem superiores aos times da fase de grupos da Argentina (etapa que engordou as estatísticas de Messi). Sobre Brasil e Argentina, Robben garantiu o pênalti do primeiro gol e clareou a jogada para o terceiro contra o Brasil. Quanto a Argentina, foi um jogo pegado onde os maiores destaques ficaram entre os defensores. Ainda bateu e marcou o pênalti nas duas decisões que a Holanda participou. Pra mim, ninguém brilhou tanto ou foi tão regular nesse tempo.
    Sobre James, é verdade que não pegou grandes seleções, mas ainda sim eram times superiores aos que a Argentina enfrentou e com dois jogos a menos que Messi tem números superiores em gols e assistências.
    Por fim, mais uma vez digo que Messi fez uma boa copa, mas não acredito que foi graças a ele que a Argentina chegou até a final. Messi garantiu passagem da Argentina até as quartas (onde foi decisivo, mas não regular), mas A defesa (Mascherano) levou a Argentina para a final. Nos jogos de mata-mata a Argentina fez 2 gols e só levou 1, o que mostra como o ataque secou e a defesa cresceu no momento decisivo contra os adversários mais fortes.

  19. Pipoqueiro é o cara que, na hora “H”, some do jogo. Por exemplo, Lionel Messi em Copas do Mundo. Sumiu na semi e na final. Por isso que discordo veementemente de quem diz que ele já é o melhor de todos os tempos…

  20. Helena eu entendo que o seu objetivo é salientar a injustiça do prêmio. E também concordo.
    Mas justificar as atuações em relação as equipes em uma Copa do Mundo é perigoso ao meu ver. Lógico que a atuação contra os grandes é mais convincente, mas muitas vezes é mais difícil furar as retrancas dos menores que dão até a ultima gota de suor pra impedir a vitória do maior. Vide o caso do Irã e da Argélia contra Argentina e Alemanha, respectivamente.
    Voltando a análise dos adversários de cada um podemos dizer que na primeira fase Robben enfrentou, no geral, adversários melhores que os outros dois (Espanha, onde como disse, jogou só no segundo tempo, e Chile, onde foi bem) mas Messi e James tiveram o mesmo nível de dificuldade. Japão, Irã e Grécia se encontram em nível similar entre elas. Bósnia, Costa do Marfim e Nigéria também, sendo que o último complicou e muito a boa França.
    Já na fase final, James e Messi enfrentaram adversários melhores que Robben. Suíça, México e Uruguai estão em um nível parecido. Agora Costa Rica(por melhor que tenha sido) é bem inferior a Bélgica e ao Brasil. E Robben foi excelente contra a Costa Rica. Na semifinal, Messi também pegou jogo mais duro do que Robben, já que a Holanda se mostrava mais acertada que a Argentina. E em relação ao último adversário, nem precisa falar. Robben poderia ter feito muito mais contra o frágil Brasil (acredito que se precisasse, o teria feito) além de cavar um pênalti, o que digamos não é sinônimo de bom jogo, fosse assim Fred seria o craque contra a Croácia.
    O ponto pra escolher quem foi melhor não é contra quem o jogador foi bem ou decidiu e sim qual a intensidade e regularidade desse bom jogo.
    Messi decidiu pois tem um talento sem igual e não porque esteve em boa forma, já que seus lances foram esporádicos e na maior parte do jogo ele esteve alheio ao espetáculo. Robben e James possuem grande talento, mas não comparável ao de Lionel. Então precisam ser mais constantes, precisam participar mais durante os 90 minutos para serem decisivos. E foi isso que fizeram, foram mais regulares e consequentemente foram melhores.
    Mas é isso aí, cada um tem seu ponto de vista.
    Segue o jogo!

  21. Mas em nenhum momento Messi se escondeu do jogo.
    Sua movimentação claramente é limitada por algum problema físico desde a primeira contusão contra o PSG pela Liga dos campeões 12/13.
    Mas o “pipoqueiro” pra mim é quem foge do jogo, se esconde atrás da marcação, o que erra por omissão.
    Os principais lances da Argentina nos dois jogos vieram de seus pés.
    A questão é que no futebol atual é quase impossível ganhar sozinho quando o time não ajuda.
    E a parte ofensiva argentina, como um todo, deixou a desejar na reta final.
    Critica-lo por não ter jogado o que pode, ok. Mas dizer que por isso é pipoqueiro não faz sentido.
    (Só pra deixar claro, cometeram baita injustiça com o Cristiano Ronaldo dizendo que ele também pipocou nesta Copa, o que é outro absurdo).

  22. Vamos lá, como eu já disse antes, vai muito da nossa opinião e boa vontade para avaliar os jogadores e times. Pra mim, os grupos mais fracos foram o da Argentina e o da Bélgica, mas isso vai de opinião.
    Sobre a questão de ser mais difícil jogar contra os menores, aí você vai ter que me desculpar, mas já acho isso surreal. Se as equipes menores fossem mais difíceis, elas teriam chegado às finais garantindo o 0x0 no placar e arriscado a sorte nos pênaltis, mas não foi o que aconteceu. Tivemos grandes surpresas, mas com exceção da Costa Rica, nenhuma seleção com menos tradição conseguiu passar das oitavas. Além disso, no seu primeiro comentário você criticou o Robben e James dizendo que eles não foram bem contra equipes grandes, ué, mas não era mais fácil jogar contra eles?
    Também não acho que cavar pênalti seja exemplo de bom jogo, mas que é decisivo e garante o placar, isso é.
    Sobre a questão do talento e da regularidade, uma coisa é ser o melhor e outra é ter sido o melhor na competição. Se fosse pra eleger o jogador com mais qualidades era só mandar o Cristiano Ronaldo e o Messi tirarem o prêmio no cara ou coroa antes mesmo de começar a copa, pois são os melhores com sobras. Como o Messi ficou alheio em seu próprio mundo no momento mais decisivo, pra mim seria como dar a medalha de ouro para o maratonista que correu melhor os 10km iniciais. Se os catalães e os argentinos foram unânimes em dizer que ele não mereceu, então tem algo de estranho e questionável nesse prêmio.
    Ps: Por fim, peço desculpas se estou parecendo intolerante ou agressiva, garanto que não é a minha intenção. Agradeço pela sua opinião e educação no momento de expor as suas ideias.

  23. Tranquilo Helena, não está sendo não.
    Fórum é pra isso…kkk
    Respeito sua opinião, sem problemas.
    Apenas algumas considerações pra finalizar minha parte:
    Quanto ao primeiro comentário eu não entrei em contradição, apenas questionei quando você diz que Messi foi bem contra seleções muito limitadas.Os outros também foram bem contra seleções muito limitadas e não tiveram nenhuma atuação fantástica contra as chamadas grandes (apenas o segundo tempo de Robben contra a Espanha foi fantástico, James foi muito bem contra o Uruguai, mas o Uruguai…).
    Pra mim como já disse no meu ultimo comentário, é evidente que uma atuação convincente contra Alemanha ou França, por exemplo, tem maior peso do que jogar bem contra a Costa Rica ou Grécia.
    Mas quem joga bem contra a Costa Rica e contra a Grécia também merece os louros.
    Tanto que, como já expressei, pra mim James foi o melhor da Copa, decidiu todos os jogos da Colômbia, independente de contra quem foi e em alguns lampejos ,complicou o Brasil (Fernandinho bateu demais nele).

    Quanto a seleções mais frágeis, não tem nada de surreal não. Muitas vezes, pra jogadores de nível “World Class”, é sim complicado aparecer em jogos deste tipo. Eles são muito mais visados por marcadores que querem ganhar a fama por ter parado o “Fulano”. Há muito menos espaço, a marcação sobre eles é cerrada, feita muitas vezes de maneira individual. Novamente, pra deixar claro é mais difícil jogar contra o Hummels que contra o Bamba (Costa do Marfim), mas muitas vezes, na vontade e na tática, os piores tecnicamente igualam os melhores.
    Não é fácil jogar contra 11 jogadores praticamente acoplados em 20 metros de campo.
    Um time maior, na maioria das vezes, joga de igual para igual e naturalmente oferece mais espaço aos talentos. E tudo que um talento mais gosta é de um espaço. Veja contra a Alemanha, se Messi tivesse em sua forma física plena, poderia achar muitos espaços na zaga europeia. Mesmo sem se movimentar quase nada, ainda levou perigo.

  24. Vcs precisam se atentar para o seguinte. o critério da fifa para indicar o melhor jogador da copa consiste no poder de decisão do jogador. Se não fosse suas jogadas individuais que concluiram em gols a argentina não teria passado nem da primeira fase, ou seja, o desepenho de mascherano foi excepcional porém não valeria de nada se messi não atuasse o mínimo q atuou.

Os comentários estão encerrados.