Legado: em cidade com arena da Copa, maior clássico é disputado em estádio de 10 mil lugares

Até o estádio da Colina teve espaço sobrando para o primeiro Rio Negro x Nacional de 2015

Anúncios

“Se você construir, ele virá.” No cinema, esse mantra funcionou. Kevin Costner fez um campo de beisebol em sua fazenda, atraiu fantasmas de antigos jogadores e ainda ganhou três indicações para o Oscar com o filme “Campo dos Sonhos”. No mundo real, é preciso construir, mas também é preciso investir, incentivar e promover. Assim, não é em um passe de mágica (e de engenharia) que a Arena Amazônia, tida como potencial elefante branco da Copa 2014, impulsionaria o futebol manauara.

LEIA MAIS: Como Balotelli ajuda a entender Manaus

Nesta quinta, Nacional e Rio Negro disputaram o primeiro Rio-Nal de 2015. Trata-se do maior e mais tradicional clássico do Amazonas e, teoricamente, é o jogo que mais mobiliza os torcedores de times locais. Mas, pelo visto, ainda não é suficiente para abrir o estádio de 40 mil lugares e obras de R$ 605 milhões. O jogo foi disputado no estádio da Colina, com capacidade de 10,4 mil torcedores após uma reforma para ser campo de treino durante o Mundial. E mesmo o estádio ainda teve espaço de sobra: apenas 1.209 nacionalinos e barrigas-pretas pagaram ingresso para ver a vitória azul por 3 a 0.

O futebol amazonense já foi maior que isso, e pode voltar a ser. Mas não é apenas a construção do estádio que fará isso. É preciso ter carinho com os clubes locais, dar motivos para o público deixar de lado a preferência por equipes do Rio de Janeiro. Que esse Rio-Nal sirva de alerta para mudanças no futuro, e não como sinal definitivo de que está tudo perdido.

Veja algumas imagens do clássico manauara:

[galeria_embeded]

Agradecemos à leitora Monique Albuquerque, fiel torcedora do Rio Negro, por nos enviar algumas imagens do clássico

23 comentários em “Legado: em cidade com arena da Copa, maior clássico é disputado em estádio de 10 mil lugares”

  1. Tá menos ruim que aqui. Quarta passada o público de Náutico x Santa Cruz foi pouco mais de 4 mil. 😛

  2. O que dizer daqui de Brasília, onde quase todos os jogos são disputados com portões fechados, e o Mané Garrincha não é usado para o campeonato local?

  3. Vamos bater na mesma tecla de sempre: CBF fatura rios de dinheiro e não distribui, não fomenta o desenvolvimento do futebol nesses locais. Não a toa nossa divisão de base como um todo está uma m****, os campeonatos estaduais cada vez piores e até o campeonato brasileiro tem caído muito tecnicamente.

  4. Três observações;
    1. O filme do Kevin Costner é sensacional… Já faltei ao trabalho para assistir a enésima reprise no TCM.
    2. O futebol do Amazonas está tão esquecido, que mal sabia que o Rio negro tinha voltado para primeirona.
    3. O craque da rodada passada foi o mago Rosembrick… Mas o artilheiro do São Raimundo, Mata Boi voltou a marcar… O tufão vai voltar para as glórias.

  5. Pois é, lembro-me que no finado Orkut, na comunidade da Copa de 2014, criticávamos a construção de Arenas de mais de meio bilhão de reais em cidades sem tradição no futebol, escolhidas apenas por questões políticas. Mas, sempre que chamávamos o Mané Garrincha e a Arena Amazônia de futuros elefantes-brancos eramos hostilizados pelos próprios brasilienses e manauaras.

  6. Dizer que é o clássico que mais atrai torcedores é falta de pesquisa básica amigo. Quem vive de história é museu, vamos pesquisar sobre como anda o futebol do Amazonas. Pesquise qual o maior clássico em público dos últimos anos. Abraços.

  7. Amazonenses tem auto estima muito baixa. Jamais torcerão por time local, mesmo porque adoram imitar cariocas. Esse elefante branco nunca terá utilidade.

  8. Meu amigo, desculpe, mas nós aqui no Pará gostamos mais do nosso futebol local do que vocês aí no Amazonas. Só o jogo da primeira rodada do Paysandu no campeonato paraense deu mais gente do que no clássico de vocês. Imagine se os 2 maiores times tivessem montado times fenomenais e tivesse decisão de turno…. era pra mais de trinta mil pagantes em um jogo.

  9. O torcedor do DF espera que com o dinheiro do Sheik no Brasília FC as coisas mudem. Tornar Brasília um palco de grandes atrações no futebol nacional. Estádio já tem.

  10. enquanto o trivela se preocupa com o nosso estádio, esquece dos outros elefantes brancos por aí.
    cadê que falam do maracanã ? da arena pernambuco ? e de outros estádios.
    só querem falar de manaus,brasilia,cuiabá e natal.
    lá no maracanã tem jogo, mas do que adianta eles jogarem num estadio de 70 mil pessoas e colocarem um público de menos de 10 mil ? e sair no prejuízo. a mesma coisa está acontecendo em outras arenas, público pequeno em estádio de copa.mas imprensa do sudeste só mete pau em 4 arenas, tanto que um portal aí fez um balanço de apenas 4 arenas e esqueceu do resto, até parece que as outras são auto-sustentáveis.enfim, isso virou perseguição da imprensa do sudeste contra essas cidades, pois se não fosse assim,estariam fiscalizando as outras arenas da mesma forma.

  11. me diz qual arena construída pra copa está dando lucro ?
    se tiver um algum dando sobre as outras arenas poste aí.

  12. pode ficar tranquilo que ninguém da imprensa chama a arena pernambuco de elefante branco,mesmo ela tendo as suas dificuldades.
    o ressentimento deles é só com 3 ou 4 arenas.

  13. Falar dos outros estádios sub-utilizados vai resolver a situação de Manaus? Não, né?

    Aprenda que “dois erros não fazem um acerto”.

  14. na teoria não é pois apesar da falta de empatia das torcidas com o estadio, a cidade de recife tem 3 times nas series A/B, logo tem condições teoricas de usar bem o estádio..

    quanto aos elefantes brancos, Manaus, Cuiaba, Natal e Brasilia tem situações bem mais preocupantes.. Por mim deveriam ter sido substituidas por Florianopolis, Belem e um segundo estádio em São Paulo. Mas a copa ja passou, os estadios estão ai, então agora so resta buscar algum tipo de uso para eles..

Os comentários estão encerrados.