Quero ver algum torcedor invadir o campo em São Francisco depois desse ippon

Se a segurança do estádio não deu conta, Ángel Pagán tratou de resolver o problema

Anúncios

Você está fazendo um duelo contra seu maior rival. A vitória é fundamental para seu time conseguir a classificação para o mata-mata e não há como o clássico ser mais tenso. Aí, o jogo para porque um gaiato resolve invadir o gramado e distribuir flores para os atletas. Deve ser frustrante para o jogador, sob o risco de ainda perder a concentração.

Por isso, Ángel Pagán do San Francisco Giants, não teve dúvidas. Quando um torcedor de sua própria equipe se aproximou para uma interação, ele fez o que a segurança do AT&T Park não conseguiu: deu um belo ippon e imobilizou o invasor de gramado. Quem ficou na arquibancada vibrou, ainda mais porque isso não acabou atrapalhando os Gigantes, que venceram o Los Angeles Dodgers por 9 a 3.

Poucas coisas são tão empolgantes quanto um inside-the-park home run. Ainda mais se der a vitória

Difícil que a temporada tenha uma jogada de corrida de base tão espetacular quanto a de Ángel Pagán

Ángel Pagán comemora vitória dos Giants (Crédito: AP Photo/Jeff Chiu)
Ángel Pagán comemora vitória dos Giants (Crédito: AP Photo/Jeff Chiu)

Beisebol é um esportes que acontece em pequenos soluços. É uma sequência de pequenas jogadas, que duram segundos. Como futebol americano e, salvo um rali mais longo, o vôlei. Por isso, são raras as jogadas que vão crescendo aos poucos, em que a expectativa do público diante de algo que vai se tornando espetacularmente real. Mas tivemos esse momento no último sábado.

O Colorado Rockies vencia o San Francisco Giants por 5 a 4 na décima entrada no AT&T Park. O time da casa tinha um corredor na segunda base e Ángel Pagán no bastão. E o porto-riquenho abusou. Um inside-the-park home run é empolgante sempre por ser uma jogada mais longa, em que se percebe aos poucos que o corredor conseguirá percorrer as quatro bases antes de a defesa agir. Mas que tal um que dá a vitória de virada para sua equipe em entradas extras?

Confira:

Finalmente uma eleição pela internet que tem resultado decente

Torcedores escolheram a seleção ideal do World Baseball Classic, e resultado final não foi ruim

Ángel Pagán e Yadier Molina, dois destaques de Porto Rico no WBC 2013 (Crédito: AP Photo/Dennis M. Rivera Pichardo)
Ángel Pagán e Yadier Molina, dois destaques de Porto Rico no WBC 2013 (Crédito: AP Photo/Dennis M. Rivera Pichardo)

Colocar a galera para votar é um bom jeito de ganhar audiência. Uma turma se mobiliza, vai clicando em peso e temos um resultado “democrático”. Até parece. Os resultados dessas enquetes muitas vezes serve só para criar polêmica. Mas vamos a um caso em que isso NÃO ocorreu. Foi na eleição da seleção ideal do World Baseball Classic, escolhida por votos no site do torneio.

A seleção ficou assim:

Pos. Jogador País
C Yadier Molina Porto Rico
1B Edwin Encarnación República Dominicana
2B Robinson Canó República Dominicana
3B David Wright Estados Unidos
SS José Reyes República Dominicana
OF1 Ángel Pagán Porto Rico
OF2 Nelson Cruz República Dominicana
OF3 Michael Saunders Canadá
DH Hirokazu Ibata Japão
P1 Kenta Maeda Japão
P2 Nelson Figueroa Porto Rico
P3 Fernando Rodney República Dominicana

 

É uma seleção bem decente. Se eu fosse fazer a minha, deixaria essa praticamente intacta. Tiraria Nelson Cruz (30,3% no bastão, nenhum home run, 6 corridas impulsionadas) para colocar o cubano Alfredo Despaigne (38,9%, 3, 8). Também trocaria Edwin Encarnación (25%, 0, 6) pelo holandês Curt Smith (32,1%, 1, 4). Nesse segundo caso, não apenas por Smith ter números claramente superiores, mas também por ter sido fundamental para o desempenho surpreendente de sua seleção.

LEIA MAIS:
– Acredite, seleção de beisebol iguala a de futebol no ranking mundial
– Dominicanos ganham o WBC dando aula de dominação em campo
– Arremessador da seleção cubana morre em acidente de carro
– O que o Brasil precisa fazer agora que o WBC é passado

Qualquer outra mudança é polêmica. Talvez o dominicano Samuel Deduno, o cubano Danny Betancourt ou o taiwanês Wang Chien-Ming merecessem o posto de segundo arremessador. Talvez o canadense Justin Morneau pudesse entrar como primeira base e o japonês Seiichi Uchikawa no campo externo. Mas não foram jogadores que tiveram desempenho tão melhor que os eleitos a ponto de invalidar a votação.

De qualquer modo, a seleção do Mundial de Beisebol está aí. E os internautas que votaram merecem cumprimento por não terem criado um monstrengo baseado em alguma mobilização boba em rede social.