Maior legado paraolímpico seria ver um país com cidades mais acessíveis

Mais que condições de treinamento ou atenção de público, portadores de deficiência precisam de condições de se locomover com autonomia na rua

Anúncios

Os Jogos Paraolímpicos de 2016 foram bem sucedidos em vários tipos de medição. O público nas arenas chegou a superar um dia dos Jogos Olímpicos, a audiência da TV foi marcante (ao menos na Sportv, pois ficou quase esquecida na TV aberta) e o Brasil teve recorde de medalhas, ainda que não tenha atingido a meta de ficar no quinto lugar no quadro. Mas o sucesso real não apareceu na TV, não subiu ao pódio, não se definiu com a extinção do fogo da pira paraolímpica no Maracanã. Ele se verá nas ruas.

Veja o artigo completo no Outra Cidade