Dominou de chaleira e depois pegou a bola. Não, não foi jogada de futebol

Duvido que você tenha visto uma defesa mais inusitada que a de Zach McAllister, do Cleveland Indians, nesta temporada

Anúncios

Zach McAllister é um arremessador de desempenho mediano no bullpen do Cleveland Indians. Teve duas temporadas como abridor, a última delas terminou com ERA cima de 5. No momento, tem atuado como reliever e sua efetividade está em 4,07. Um número passável, mas nada espetacular, ainda mais depois de uma ótima temporada em 2015, com ERA de 3. São números suficientes para garanti-lo alguns anos a mais na MLB, mas sem grande destaque. E talvez seu talento esportivo esteja em outra modalidade.

Nesta terça, na vitória dos Indians sobre o Minnesota Twins, McAllister mostrou que tem jeito para futebol freestyle, ou “fazer embaixadinhas”. Olha só como o arremessador defendeu a rebatida de Kurt Suzuki. Teve direito a ajeitada de chaleira antes de finalizar a jogada. Tem muito jogador no Brasileirão que não consegue fazer isso.

Defensor arremessando a 99 milhas/hora para bater Mike Trout. Por que não?

Já se sabia que Byron Buxton tinha um torpedo nos pés. Pelo visto, tem nas mãos também

Byron Buxton fez seu nome nas categorias de base do Minnesota Twins pela velocidade que usa na defesa. Mas não é só nos pés que ele tem um torpedo. Mike Trout descobriu isso nesta terça, na vitória de seu Los Angeles Angels por 5 a 4 em Anaheim.

Logo na primeira entrada, Trout estava na segunda base quando Albert Pujols conseguiu uma rebatida simples para o campo externo. Para um jogador rápido como o craque dos Angels, era uma corrida relativamente trivial. Pois Buxton mandou um disparo a 99,4 milhas/hora e a bola chegou ao home plate com folga. Provavelmente o jogador dos Angels levou um tempo para entender o que tinha acontecido.

Carrasco do Brasil no Mundial joga nas nove posições em uma única partida

Ray Chang, que liderou vitória chinesa no World Baseball Classic, está nas ligas menores do Cincinnati Reds

Ray Chang é mais um dos centenas de jogadores que perambulam pelas ligas menores do Cincinnati Reds. Mas, para o Brasil, seu nome tem outro significado.  O shortstop nascido foi o principal responsável pela derrota da seleção brasileira para a China no World Baseball Classic. Nesta semana, ele voltou a ser destaque, mas por outro motivo: jogou em todas as posições na mesma partida.

VEJA TAMBÉM: Quer ver o primeiro grand slam da carreira de Yan Gomes? Aqui está

Foi na última partida de temporada regular do Pensacota Blue Wahoos, time do nível double-A, contra o Mobile BayBears (filial do Arizona Diamondbacks). O título da divisão já estava garantido, o que deu margem para o técnico Pat Kelly realizar o sonho do veterano de 32 anos. Chang fez uma entrada em cada posição, pela ordem: primeira base, segunda base, shortstop, terceira base, campo esquerdo, campo central, campo direito, catcher e arremessador.

Segundo Chang, a posição mais difícil foi a de catcher. “A parte difícil dessa posição é quando a bola está na zona de strike, você sabe que o rebatedor vai para o swing, mas você tem de ficar focado na bola e não no bastão passando na sua frente”, comentou. Ficar pulando de posições na defesa não afetou seu desempenho no ataque. Chang teve três rebatidas em quatro idas ao bastão, ajudando na vitória por 4 a 2 de sua equipe.

Nascido em Kansas City, Chang tem pais chineses e, por isso, se tornou elegível para defender a seleção asiática no WBC. Na partida contra o Brasil, a última da primeira fase (as duas equipes já estavam eliminadas e brigavam pela terceira posição, que daria uma vaga direta à próxima edição do Mundial), Chang teve três rebatidas em quatro idas ao bastão. Além disso, impulsionou as corridas da virada na oitava entrada, quando a seleção brasileira deixou escapar a vantagem de 2 a 0 para perder por 5 a 2.

Veja a evolução dos escudos dos times da MLB em apenas uma imagem

Ano a ano, franquia a franquia… Isso é hipnótico!

O beisebol é um esporte de tradição, e isso se reflete sobretudo na imagem. Os estádios mais modernos precisam ter uma cara retrô. Os uniformes têm camisa com botão e cinto para securar a calça. Os bonés são tão clássicos que se transformaram em símbolos de muitas cidades. Mas, nos distintivos, a liga nunca foi muito conservadora. As franquias trocaram de escudos várias vezes ao longo da história.

VEJA MAIS: De que esporte é o atleta mais bem pago de cada país? Esse mapa responde

Eric Orvietto, do Yahoo Sports norte-americano, fez um GIF sensacional mostrando, ano a ano, time a time, a evolução de todos os distintivos das franquias. Eles consideraram apenas as equipes existentes hoje (ou seja, excluiu as que fecharam as portas entre as décadas de 1870 e 1890). Confira abaixo e clique aqui para ver as curiosidades levantadas pelo pessoal do Yahoo a partir dessa imagem animada.

(Eric Orvieto)

Pela primeira vez em 112 anos de história, todos os mandantes vencem em rodada cheia da MLB

O recorde anterior era de 12 jogos, em uma época em que o beisebol tinha três grandes ligas, Nova York se divida em quatro times e Indians x Yankees era decidido em entradas extras (ops)

O New York Yankees estava com a vitória nas mãos. Depois de tomar 2 a 0 do Cleveland Indians nas primeiras entradas, reagiu e empatou na oitava. A partida foi para entradas extras e, logo de cara, os nova-iorquinos anotaram duas corridas. Seria difícil resistir, mas os Indians conseguiram arrancar um empate (com corrida impulsionada por Yan Gomes) contra o único fechador que tinha 100% de aproveitamento no ano e viraram na 16ª.

VEJA TAMBÉM: Usar o boné para pegar uma bolinha de home run não é uma ideia tão boa quanto parece

Um resultado arrancado na garra, mas que poderia ser mais um de um time já virtualmente eliminado sobre um que provavelmente se classificará. Mas essa virada espetacular garantiu que a MLB tivesse um dia histórico: pela primeira vez, nos 112 anos de vida da liga, uma rodada cheia de 15 partidas teve vitórias apenas dos mandantes.

Em um esporte em que o mando de campo tem influência menor e times fracos conseguem vencer os mais fortes com constância, é comum visitantes vencerem. Em uma rodada completa, com todos os times entrando em campo, é até recorrente haver mais derrotas do que vitórias dos times da casa.

Houve dias com 100% de aproveitamento dos mandantes, mas sempre em rodadas parciais ou na época em que a liga tinha menos equipes (e, portanto, menos partidas a cada dia). O mais perto que se havia chegado da marca desta terça foi em 23 de maio de 1914, com 12 vitórias de mandantes (somando jogos da Liga Nacional, Liga Americana e da finada Liga Federal).

Curiosamente, naquele dia o jogo em que o mandante esteve mais perto da derrota foi Yankees x Indians, também decidido em entradas extras (na 11ª). Mas, na oportunidade, o jogo era em Nova York. Veja abaixo:

Boston Red Sox 6×2 Chicago White Sox
New York Yankees 10×9 Cleveland Indians
Philadelphia Athletics 8×5 Detroit Tigers
Washington Senators 6×1 St. Louis Browns
Baltimore Terrapins 7×4 Chicago Whales
Brooklyn Tip-Tops 8×3 Kansas City Packers
Buffalo Blues 6×5 Indianapolis Hoosiers
Pittsburgh Rebels 3×0 St. Louis Terriers
Pittsburgh Pirates 7×2 Philadelphia Phillies
Chicago Cubs 2×1 Boston Braves
Cincinnati Reds 11×3 Brooklyn Dodgers
St. Louis Cardinals 4×3 New York Giants

Agora confira os resultados desta terça na MLB:

Toronto Blue Jays 4×2 Oakland Athletics
Tampa Bay Rays 2×0 Atlanta Braves
Miami Marlins 5×4 Boston Red Sox
New York Mets 4×0 Colorado Rockies
Cleveland Indians 5×4 New York Yankees
Chicago Cubs 6×3 Milwaukee Brewers
Kansas City Royals 6×1 Detroit Tigers
Chicago White Sox 3×0 Los Angeles Angels
Minnesota Twins 3×2 Texas Rangers
St. Louis Cardinals 4×3 Pittsburgh Pirates
Arizona Diamondbacks 13×1 Philadelphia Phillies
Seattle Mariners 6×5 Baltimore Orioles
San Diego Padres 11×6 Cincinnati Reds
Los Angeles Dodgers 5×0 Washington Nationals
San Francisco Giants 3×1 Houston Astros

Veja o que acontece quando o torcedor se empolga e pega uma bolinha que está em jogo

Se ele tiver bom senso, até pode ser desculpado. Mas não foi o que aconteceu com esse sujeito em Toronto

Todo torcedor de beisebol sonha com a oportunidade de apanhar uma bolinha usada em jogo e levar para casa. Alguns se empolgam e até colocam a mão para o outro lado do muro (ou seja, para dentro do campo) para pegar o souvenir. E alguns desses casos são mais delicados porque acabam atrapalhando o jogo. E aí, o que acontece?

VEJA TAMBÉM: Um velho estádio de beisebol, e a Hiroshima que procura um abrigo para os origamis

Com o jogo, depende das circunstâncias. Se o jogador de defesa iria claramente fazer uma defesa de bola voadora, é uma eliminação. Se a bola já havia pingado no chão, é uma rebatida dupla automática. Mas também há uma consequência para o torcedor, e pudemos ver uma possibilidade nesta quinta, durante Toronto Blue Jays x Minnesota Twins.

José Bautista ia para a defesa em uma bola que estava em jogo. Se ele apanhasse a bolinha, provavelmente limitaria Miguel Sano a uma rebatida simples. Mas o torcedor entrou em ação e levou a bolinha. Foi rebatida dupla, e o torcedor foi gentilmente expulso do Rogers Centre.

Nem sempre a consequência é tão drástica, mas realmente faltou bom senso ao torcedor (ele praticamente arrancou a bolinha da luva de Bautista). Além disso, a cara de tapado que ele faz não ajuda. Se ainda desse um migué e fizesse aquele jeitão de “xiii… Foi mal… Juro que não percebi”, teria alguma chance de ver o final do jogo.

 

Como diria Galvão Bueno, “que lembança você está fazendo, garotão?”

Toda criança já adotou o truque do “o que não mata, engorda” para comer alguma besteira

Cachorros quentes podem ser traiçoeiros. O excesso de catchup, mostarda e maionese torna a salsicha escorregadia, e fica difícil mantê-la firme dentro do pão. Ainda mais se o comensal é uma criança, ainda inexperiente na arte de dominar um sanduíche e com uma mão pequena que não ajuda. Por isso, o pessoal da Fox Sports North deve ter pressentido a chegada de uma cena de pastelão quando um mini-torcedor do Los Angeles Angels começou a apanhar de seu dogão durante o jogo contra o Minnesota Twins.

VEJA TAMBÉM: Esse lanche se diz “o mais americano” de todos, e provavelmente está certíssimo

O resultado foi inevitável. O garoto se enrolou, a salsicha caiu. E ele fez o que qualquer criança faria (e que você, leitor, certamente já fez algumas vezes na sua infância, NÃO MINTA!): pegou rapidinho e voltou a comer. Dentro da lógica do “o que não mata, engorda”, até que não foi um crime. Ainda mais porque dá para perceber que a salsicha não caiu no chão, mas no assento em que ele estava.

De qualquer modo, é importante lembrar que isso não é certo, e pais responsáveis não devem incentivar seus filhos a fazerem isso, por mais caro que tenha sido o cachorro quente. Ou você corre o risco de tomar uma dura do Galvão Bueno.

Veja os resultados da MLB nesta terça:

New York Yankees 3×2 Baltimore Orioles
Washington Nationals 2×7 New York Mets
Philadelphia Phillies 0x1 Tampa Bay Rays
Detroit Tigers 9×11 Seattle Mariners
Cincinnati Reds 4×5 Chicago Cubs
Atlanta Braves 4×3 Los Angeles Dodgers
Houston Astros 8×3 Boston Red Sox
Milwaukee Brewers 8×1 Cleveland Indians
Kansas City Royals 3×1 Pittsburgh Pirates
Chicago White Sox 5×8 St. Louis Cardinals
Colorado Rockies 0x9 Texas Rangers
Arizona Diamondbacks 0x3 Miami Marlins
Los Angeles Angels 7×0 Minnesota Twins
Oakland Athletics 1xz7 Toronto Blue Jays
San Diego Padres 3×9 San Francisco Giants

Olha como Brian Dozier responde ao fato de ficar de fora do All-Star Game

Sergundo home run na semana que dá a vitória aos Twins na nona entrada

A torcida do Kansas City Royals estava realmente mobilizada, e Mike Moustakas foi eleito para a vaga final da Liga Americana no All-Star Game (a da Nacional ficou com Carlos Martínez, do St. Louis Cardinals). Isso significa que Brian Dozier ficou de fora, o que é um absurdo pelo que o segunda base do Minnesota Twins vem fazendo na temporada. Pois ele deu uma resposta hora depois de sair o resultado.

VEJA MAIS: Já temos os times (quase) completos para o All-Star Game

Sua equipe perdia em casa o para o Detroit Tigers. Dozier foi ao bastão na nona entrada com dois jogadores em base. Resultado: um home run para determinar a vitória de seu time (o segundo nesta semana!) e mostrar para todo mundo o que a torcida estará perdendo na próxima terça.

Veja os resultados da MLB nesta sexta:

Chicago Cubs 0x1 Chicago White Sox
Pittsburgh Pirates 5×2 St. Louis Cardinals
Baltimore Orioles 3×2 Washington Nationals
New York Mets 4×2 Arizona Diamondbacks
Miami Marlins 0x1 Cincinnati Reds
Tampa Bay Rays 3×1 Houston Astros
Boston Red Sox 1×5 New York Yankees
Cleveland Indians 5×1 Oakland Athletics
Texas Rangers 4×3 San Diego Padres
Colorado Rockies 5×3 Atlanta Braves
Minnesota Twins 8×6 Detroit Tigers
Los Angeles Dodgers 3×2 Milwaukee Brewers
Kansas City Royals 3×0 Toronto Blue Jays
Seattle Mariners 3×7 Los Angeles Angels
San Francisco Giants 15×2 Philadelphia Phillies

Torii Hunter deixou bem claro o quanto discordou da marcação do árbitro

Ainda bem que ele chegou ao vestiário antes de terminar o striptease

Jeff Kellogg é um dos principais árbitros da MLB, mas errou na marcação de strikeout de Torii Hunter na partida do Minnesota Twins contra o Kansas City Royals. O arremesso foi significativamente fora da zona de strike, e até dá para entender o inconformismo do rebatedor. Até que o juizão mostrou que não estava disposto a discutir demais.

VÍDEO: Yan Gomes rebate dois home runs no mesmo jogo, e um torcedor pega as duas bolinhas

A discussão nem cresceu muito e Kellogg expulsou Hunter. O técnico Paul Molitor apareceu e também foi excluído, sem muita conversa. O jogador ficou inconformado, e começou a tirar peças de seu uniforme e atirar no campo. A sorte é que ele entrou nos vestiários antes que acabasse o serviço, porque não precisamos de um novo Paulo Mata.

O protesto de Hunter até foi acima da média da MLB dos últimos anos, que anda meio comportada, mas não se iguala a Phill Wellman, técnico de ligas menores do Atlanta Braves e responsável pela melhor reclamação contra arbitragem do beisebol.

Veja os resultados da MLB nesta quarta:

Cincinnati Reds 5×2 Philadelphia Phillies
Toronto Blue Jays 7×2 Miami Marlins
New York Yankees 4×5 Washington Nationals
Colorado Rockies 2×4 St. Louis Cardinals
Baltimore Orioles 5×2 Boston Red Sox
Pittsburgh Pirates 2×0 Milwaukee Brewers
Detroit Tigers 3×12 Chicago Cubs
Tampa Bay Rays 4×2 Los Angeles Angels
Atlanta Braves 4×1 San Diego Padres
New York Mets 5×8 San Francisco Giants
Cleveland Indians 3×9 Seattle Mariners
Chicago White Sox 4×1 Houston Astros
Minnesota Twins 2×7 Kansas City Royals
Oakland Athletics 5×4 Texas Rangers
Los Angeles Dodgers 7×6 Arizona Diamondbacks

Depois desse home run, a bolinha resolveu tirar férias e passear de barco

Rebatida de Pedro Álvarez, do Pittsburgh Pirates, foi parar em lancha estacionada no rio Alegheny

É uma imagem comum no beisebol. Jogos do San Francisco Giants em casa sempre são acompanhados de um ou outro caiaque que fica na baía de São Francisco à espera de um home run para o campo direito que caia no mar. Mas, em Pittsburgh, isso é raro. O rio Allegheny fica muito mais distante do campo e apenas duas vezes uma bolinha tinha caído em suas águas. Até esta terça.

Pedro Álvarez, primeira base do Pittsburgh Pirates, abusou. Um home run de quase 450 pés (137 metros) passou por cima da arquibancada, da rua que passa atrás do PNC Park e foi para o rio. Mas ela nem tocou as águas. Em uma incrível coincidência, a bolinha foi parar em uma lancha que estava estacionada no Allegheny.

É verdade que não deu para ver tão bem assim no vídeo acima, mas a certeza veio logo depois. Um gaiato que estava passando por trás do estádio ficou sabendo da história e foi conferir na lancha. E, de fato, ele achou a bolinha. Claro, pegou e levou o souvenir para casa.

Veja os resultados da MLB nesta terça:

Pittsburgh Pirates 5×8 Minnesota Twins
Washington Nationals 8×6 New York Yankees
Baltimore Orioles 9×4 Seattle Mariners
Toronto Blue Jays 2×3 Los Angeles Angels
Detroit Tigers 1×8 Milwaukee Brewers
Miami Marlins 2×4 Arizona Diamondbacks
New York Mets 2×10 St. Louis Cardinals
Atlanta Braves 3×5 Tampa Bay Rays
Boston Red Sox 4×3 Texas Rangers
Kansas City Royals 3×0 Cincinnati Reds
Chicago White Sox 1×3 Cleveland Indians
Houston Astros 6×4 Oakland Athletics
Colorado Rockies 6×5 Philadelphia Phillies
San Diego Padres 4×3 Chicago Cubs
San Francisco Giants 2×0 Los Angeles Dodgers