Torcedor dos Lakers foi sacaneado, mas sua história terminou do melhor jeito possível

Todo consumidor que já se sentiu prejudicado deve se sentir vingado ao ver a história de Jesse Sandler

Anúncios

Qualquer consumidor que já se sentiu lesado alguma vez na vida (ou seja, toda a população mundial) já ficou com vontade de descarregar uma vingança maléfica contra a empresa. Pois é impossível não sentir uma dose de satisfação ao ver o que ocorreu com Jesse Sandler, torcedor do Los Angeles Lakers.

Em 11 de novembro, ele teve a sacada (que, convenhamos, nem era preciso ser Nostradamus para isso) que Kobe Bryant encerraria a carreira ao final desta temporada. Assim, comprou quatro ingressos para o último jogo dos Lakers em casa, marcado para 11 de abril contra o Utah Jazz. Sandler foi ao StubHub, site que revende ingressos para diversos tipos de eventos, e pagou US$ 906,77 pelas quatro entradas.

VÍDEO: Kobe ganhou uma baita homenagem do melhor da história. Não dá pra pedir reconhecimento maior

Compra feita e amigos convocados, veio a má notícia. Dezoito dias depois da transação, Kobe anunciou oficialmente sua aposentadoria. De repente, o preço dos ingressos para Lakers x Jazz decolaram. Assentos no setor comprado por Sandler chegaram a US$ 1,5 mil cada (US$ 6 mil no total).

O torcedor estava determinado a ir ao jogo e não pensou em revender os bilhetes. No entanto, em 15 de dezembro, ele recebeu uma mensagem dizendo que a compra estava cancelada. O motivo é que o dono original dos ingressos havia desistido da venda porque o valor apontado estava incorreto.

Jesse Sandler, torcedor dos Lakers (Reprodução)
Jesse Sandler, torcedor dos Lakers (Reprodução)

É óbvio que se trata de uma sacanagem contra Sandler. Ele comprou os ingressos pelo valor de mercado do dia da negociação e não tem responsabilidade sobre a posterior valorização deles (do mesmo jeito que o preço poderia despencar se Kobe tiver uma lesão grave que o tire dessa partida). No entanto, os termos de uso do StubHub permitem ao vendedor voltar atrás, desde que pague uma multa de 20% em relação ao valor inicial. Em uma situação normal, essa punição até faz sentido, mas se torna inócua quando a valorização do bilhete é de cerca de 650%.

VEJA: Kobe acredita que sua paixão pelo futebol o ajuda a enxergar o basquete de maneira diferente

Sandler reclamou, porque o vendedor estava claramente usando uma brecha no regulamento do site. Entrou em contato com o StubHub para conseguir novamente as entradas, mas sempre parava no serviço de atendimento ao consumidor e frases como “estamos de mãos atadas neste caso”. O máximo que o torcedor conseguiu foi bônus para compras futuras como pedido de desculpas.

Claro, não era isso o que ele queria. Sandler decidiu contar sua história, mostrando toda a troca de e-mails com a empresa, para o site The Lead Sports. Assim que a história foi à imprensa (e se espalhou rapidamente pelas redes sociais), o StubHub fez o que se esperava: admitiu o erro e prometeu “dar um jeito” de verdade.

//platform.twitter.com/widgets.js

Um dia depois, a empresa afirmou que conseguiu quatro outras entradas para Lakers x Jazz e ofereceu de graça para Sandler. Ele aceitou? Claro que não. Afinal, a Tickets for Less, uma empresa concorrente, viu na história do torcedor uma oportunidade de fazer um marketing, arrumou outros ingressos, em um setor melhor ainda, e mandou seu presidente entregar os bilhetes pessoalmente.

No final das contas, a StubHub ficou com o mico de ser passada para trás pelo concorrente e ainda ver a credibilidade de seus serviços ficar bastante arranhada. Teve de se justificar com o seguinte comunicado:

“Essa foi uma péssima experiência para Jesse e faremos todo o possível para colocá-lo nesse jogo. Como um site que realiza milhares de transações por dia, erros e discrepâncias de compradores e vendedores podem ocorrer. A realidade é que essas situações ocorrem menos de 1% do tempo. Quando ocorrem, compradores estão protegidos pela nossa Garantia de Proteção ao Fã. Às vezes, conseguimos oferecer ingressos equivalentes ao comprador. Francamente, isso é o que deveria ter ocorrido nesse caso e o jeito que o comprador foi tratado foi um erro.”